Que maravilha, tchê! Serra Gaúcha – Parte II

uvas

Dia 4 : Canela 

Canela fica somente uns 15km do centro de Gramado, ou seja, os dois municípios são quase uma coisa só. A chegada até lá é bem fácil, se você está hospedado em Gramado pode pegar um ônibus convencional que deixa no centro de Canela, pode alugar um carro ou pegar o Bustour, como nós fizemos. Ele dá direito a andar por  todos (ou quase todos) pontos turísticos de Gramado e Canela. O ticket custou R$59,00 por pessoa e você pode comprar no próprio ônibus ou em alguma agência de viagem (não sei se o preço muda). Ao comprar o seu ticket você recebe um folder com a rota e os horários do ônibus, assim você pode escolher o melhor ponto para embarcar/desembarcar e se programar para aproveitar o máximo de coisas.

Bustour leva aos pontos turísticos de Gramado e Canela

Bustour leva aos pontos turísticos de Gramado e Canela

Rotas e Horários do Bustour

Rotas e Horários do Bustour

Aproveitamos para passar o dia em Canela, que ainda não tínhamos conhecido.  A cidade em si parece menor que Gramado, mas tão simpática quanto. Andamos um pouco pelo centro próximo à igreja e almoçamos no Empório Canela, que é uma mistura de restaurante, livraria, lojinha. Muito gostoso e acolhedor. A decoração é bem vintage e original. Comemos uma saladinha e experimentamos mais uma cerveja local: Farol, legítima de Canela e que eu já havia comentado no outro post.

Cerveja Farol - Estilo Weiss

Cerveja Farol – Estilo Weiss

Visitamos algumas lojinhas no centro e de lá fomos para os Bondinhos Aéreos nos Parques da Serra, que tem uma vista deslumbrante para a Cascata do Caracol. O ingresso do bondinho foi R$40,00 por pessoa e tivemos um desconto de 10% por estar no Bustour (fique ligado nos descontos que o Boustour te dá em alguns pontos turísticos).
No parque onde ficam os bondinhos ainda tem uma pequena trilha com fauna e flora típica da região e o Espaço das Esculturas que Falam, que é um ambiente com algumas esculturas talhadas em madeira pelo artista plástico Masaharu Hata, bem interessante. Os Bondinhos são um ótimo lugar para tirar fotos, a paisagem é linda, na Estação das Cascatas há um fotógrafo tirando fotos que você pode comprar, os preços são altos, mas as fotos ficam tão bonitas que vale a pena.

Cascata Caracol - vista dos Bondinhos Aéreos

Cascata Caracol – vista dos Bondinhos Aéreos

Bondinhos Aéreos

Bondinhos Aéreos

Ao retornar à Gramado tínhamos a intenção de conhecer o Lago Negro,que é um dos pontos turísticos e tem uma vista linda (só vi por foto haha), além de a paisagem da Estalagem St. Hubertus, hotel de luxo e bem tradicional da cidade, mas infelizmente não conseguimos ir. Então ficamos pelo centro, lanchamos no Pasteleiro, um restaurante que tem como prato principal pastéis temáticos, onde cada sabor leva o nome de um filme. O restaurante fica ao lado da Igreja São Pedro. Experimentamos o “Moscou contra 007”: strogonoff de carne, catupiry e mussarela.

Para fechar a rota Gramado/Canela fomos até ao Casa Di Pietro, restaurante que fica no porão da Igreja São Pedro para tomar um vinho típico da Serra: Luiz Argenta. Foi uma excelente escolha, gostamos tanto que no último dia compramos uma garrafa para trazer pro Rio.

Casa Di Pietro - Restaurante locaziado no fundo da Igreja São Pedro

Casa Di Pietro – Restaurante locaziado no fundo da Igreja São Pedro

Dia 5: Ida para Bento Gonçalves

Muita gente que vai à Serra Gaúcha não se hospeda, fica em Gramado ou Canela e vai até Bento Gonçalves no passeio de Maria Fumaça . A gente decidiu ficar duas noites lá para aproveitar mais a cidade e as vinícolas e eu aconselho todos a fazerem isso, vocês vão entender o porquê. A ida de Gramado para Bento foi bem tranquila. Pegamos um ônibus na rodoviária de Gramado para Caxias do Sul que custou cerca de R$17,00 cada passagem e depois outro ônibus de Caxias do Sul para Bento Gonçalves que custou mais R$8,00 cada passagem. Tínhamos a opção de contratar um carro executivo com motorista para nos levar, o que com certeza seria uma viagem mais rápida, mas o valor era no mínimo de R$300,00 e achei que não valia a pena.

Nós ficamos hospedados no Laghetto Viverone (hotel de 4 estrelas e com custo ótimo de R$200,0 a diária). Ele não fica no centro, mas ao redor dele tem várias opções: Shopping, a famosa churrascaria Ipiranga que infelizmente não conseguimos comer porque fecha cedo, a vinícola Aurora, alguns barzinhos e restaurantes.

Como estávamos um pouco cansados da viagem, só almoçamos e fomos para o hotel descansar. A noite fomos com um amigo que mora na cidade para a Biroska que é um bar onde tem DJ tocando todos os ritmos (até funk haha) e um cardápio variado de bebidas e petiscos (inclusive uma das melhores caipivodkas que já experimentei).

Entrada da cidade Bento Gonçalves - Capital do Vinho

Entrada da cidade Bento Gonçalves – Capital do Vinho

Dia 6: Vinícolas em Bento Gonçalves

Capital do vinho, Bento possui incontáveis vinícolas, desde as familiares até as reconhecidas internacionalmente como a Chandon e a Miolo. Uma super dica para quem quer conhecer as vinícolas: alugue um carro ou melhor ainda: contrate um guia. Todos as agências que havia pesquisado antes de ir por exemplo só levavam nas vinícolas grandes.
Por sorte nós tínhamos o contato de um turismólogo apaixonado pela cidade e que foi o nosso super guia neste dia. Então nós alugamos um carro na Exclusiva Locadora que fica bem perto do hotel (dá pra ir a pé) e fomos para o Vale dos Vinhedos.

Parreiras de Uvas - Vinícola Larentis

Parreiras de Uvas – Vinícola Larentis

É inevitável, e eu diria até inaceitável ir ao Sul e não conhecer Bento e suas vinícolas. Entender um pouquinho sobre os cuidados com a uva, o processo para transformá-la em vinho e os cuidados para mantê-lo bom foi algo que realmente me encantou, além é claro de conhecer algumas famílias italianas ou de descendentes italianos que vivem daquilo. Conhecemos as vinícolas: Vaccaro, Cavalleri, Larentis, Cave de Pedra, Spa do Vinho e Dôm Candido. Vocês sabiam que colocam-se rosas próximo às parreiras para caso aja praga seja detectado cedo e salvar as uvas sem prejudicar a produção?  E dá vontade de levar as rosas junto com os vinhos, de tão lindas que elas são.

Rosas evitam que alguma praga danifique as uvas

Rosas evitam que alguma praga danifique as uvas

No final do passeio tive a impressão é que você é muito melhor atendido pelas menores vinícolas do que as grandes. Além de degustas os vinhos e espumantes sem custo, geralmente os membros da família te recebem com todo carinho e atenção, fazendo questão de mostrar cada pedacinho da sua cantina.

Almoçamos no restaurante italiano  chamado Giordani que também é delicioso. Eles têm um rodízio de massas e carnes por R$55,00 por pessoa. Tem algumas entradinhas típicas como polenta, pães e queijos , salame e presunto de Parma. Além de vários tipos de massa (spaguetti, canelone, gnochi, massa ao molho de vinho).

Giordani - Restaurante italiano em Bento Gonçalves

Giordani – Restaurante italiano em Bento Gonçalves

Vale uma dica caso você faça esse tour das vinícolas : ele dura o dia todo e no verão é realmente muito quente, então coloque roupas frescas. E leve repelente, fui picada por mosquito e se você for alérgico pode estragar o passeio.

Dia 7: Porto Alegre

Como nosso voo de volta ao Rio era em POA, voltamos um dia antes do retorno para Porto Alegre. Pegamos um ônibus na rodoviária de Bento Gonçalves e depois de 1hora e 40min já estávamos na capital gaúcha. A passagem foi uns R$35,00 por pessoa. Ficamos hospedados em um hotel em frente à rodoviária, chamado Continental. Ele não era dos melhores, a aparência é de velho, mas pelo custo/benefício valeu a pena, principalmente porque ficamos apenas uma noite.

Em Porto Alegre não sei se tem muitos pontos turísticos a serem conhecidos, então fomos em busca do mais tradicional : churrasco. Buscamos indicações e escolhermos o Na Bara Steak para jantar. Eles servem um Menu Degustação que é um rodízio, só não tem a parte de buffet, você pede as guarnições e acompanhamentos na mesa. Achei tudo delicioso e finalmente experimentei o churrasco gaúcho. Os drinks também são muito bons, experimente a Caipi Espumante de morango, sensacional!

Fiquei apaixonada pela Serra Gaúcha, é uma viagem que você não deve deixar de fazer! Vá com o namorado(a), marido, família, amigos, não importa, mas não deixe de ir 🙂

Arena Grêmio

Arena Grêmio

Continental Hotel (1 de 1)

Piscina no terraço do Hotel Continental em Porto Alegre

Leia mais em: Serra Gaúcha – Parte I

Postado por: Aline Chaves

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s